segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Eclesiástico 2 (Paciência)

“Meu filho, se entrares para o serviço de Deus,  Permanece firme na justiça e no temor,
E prepara a tua alma para a provação;   Humilha teu coração, espera com paciência,
Dá ouvidos e acolhe as palavra de sabedoria;  Não te perturbes no tempo da infelicidade,  Sofre as demoras de Deus;  Dedica-te a Deus, espera com paciência;
A fim de que no derradeiro momento tua vida se enriqueça.  Aceita tudo o que te acontecer. Na dor, permanece firme; Na humilhação, tem paciência. Pois é pelo fogo que se experimentam o ouro e a prata, E os homens agradáveis a Deus, pelo caminho da humilhação. Põe tua confiança em Deus e ele te salvará; Orienta bem o teu caminho e espera nele. Conserva o temor a ele até na velhice.”

Na vida de um cristão, de um jovem que realmente assume aquela vontade de ser santo, como nós, eu e você, que escrevo e lê esse texto, há os melhores momentos, momentos de fervor, momentos de unção, aquela coisa toda, força, coragem, ninguém pode te derrotar, você está disponível pra tudo, com um gás, que parece que não acaba. Mas infelizmente, há aquele momento em que vamos esfriando, vai ficando tudo lento, a oração fica pesada, não temos vontade nem de ir à missa, o terço fica aquela coisa chata, e ficamos como aquele rio, que tinha muita água, água limpinha e cristalina, mas que uma hora secou, e restou só areia, e a gente vive essa aridez, tempo em que ficamos na areia, e vivemos o deserto. Você já viveu isso? Se não, viva!
 Todos os santos passavam por isso, não pelas suas próprias vontades, mas porque era necessária essa aridez, para a sua santificação. Era necessário para o amadurecimento na fé. Deus nos fala no capítulo 2 de eclesiástico que devemos permanecer firmes na justiça e no temor, e preparar nossas almas para esse tipo de provação. Ou seja, não deixar de rezar, porque quando deixamos de rezar aí, que não vemos mais a luz de Deus nessa escuridão. Mesmo que pareça ruim rezar nesses momentos de aridez, seja firme, e reze, porque é na oração que nós encontramos forças, e nos deixamos guiar pela luz de Deus.
Deus também nos pede para sermos pacientes, esperarmos sua demora. Esse tempo pode demorar horas, dias, semanas! Mas uma hora passa. Mas temos que esperar nEle, pois Ele está operando em nós, senão, não há como Ele trabalhar em nosso coração. No tempo de sua provação, permaneça firme em Deus, mesmo que tudo só te faça sentir mal. Deus te guiará pela escuridão. Somos jovens guerreiros, não podemos ter preguiça e nem medo de lutar. Precisamos ser violentos nestes casos, já que o inimigo aproveita desses momentos para nos tirar das mãos de Deus.
Lutaremos juntos, e alcançaremos o céu! TamoJunto!

2 comentários:

  1. Sábias palavras,Lipe!
    Gostei!
    =D
    Deus nos guie nos momentos de noite escura!
    Tamu junto!

    ResponderExcluir
  2. Cara, esse texto, eu deveria ter lido ele ontem... Mas, acredito que eu li na hora correta, porque assim posso escrever com mais clareza.

    Esses dias passei por um deserto pesado, que não me deixou rezar o terço, não me deixou ler nem mesmo a palavra todos os dias. E agora, que me sinto melhor depois de ter passado por esse deserto, depois de uma homilia de esperança linda do diácono Franzé, ontem na capela São Pedro Julião Eymard; posso confirmar, graças a Deus, com toda a certeza tudo o que escrevestes ai.

    E posso até completar. Porque existe o deserto? O deserto existe porque faz parte da vida. Faz parte da vida cair e nós, no nosso limite humano, não conseguimos suportar a queda. Muitas vezes nem aceitamos. Mas não é exatamente nossa fragilidade que nos mantém no chão, são as portas que abrimos para o maligno quando deixamos de rezar, de ler a bíblia com fervor, e, se não conseguimos rezar, de ao menos pedir a um amigo ou uns amigos que reze conosco.
    A fidelidade é algo importante nesse momento, e precisamos ter uma lectio divina (leitura orante) diária da bíblia.

    Um abraço, que o Espírito sopre em nós. Amém.

    ResponderExcluir

imagem
2010 - 2014 • Lance de Santidade | Desenvolvido por Carlos e Fellipe.